Brasil

10/12/2016 09:56

Leite, feijão carioca e tomate ajudaram a desacelerar inflação

Preços de alimentos como leite longa vida, feijão carioca e tomate foram os que mais contribuíram para a desaceleração da inflação para 0,18% em novembro. O IPCA, índice oficial de inflação do país, para o mês passado foi divulgado nesta sexta-feira (9) e apresentou queda frente ao registrado em outubro, quando esteve em 0,26%.

Preços do etanol, de planos de saúde e custos com empregados domésticos, por outro lado, foram os itens que mais contribuíram para uma alta no índice. Entre as razões para a queda dos alimentos, que representam quase um terço no cálculo do IPCA, está o fim do período climático difícil -chuvas no Sul e Sudeste e secas no Nordeste-, que trouxe alento a produtos importantes na cesta de compras do brasileiro.

O leite longa vida caiu 7% de preço, tendo tido impacto de -0,08 ponto percentual nos 0,18% do IPCA do período. Foi o maior impacto individual de produtos na inflação do mês. O feijão carioca, que teve queda de 17,52%, contribuiu com 0,07 ponto percentual do indicador.

O tomate teve queda de 15,15%, bem como a batata inglesa, que recuou 8,29%. Os dois produtos tiveram pesos de 0,04 e 0,02 ponto percentual, respectivamente.O quinto item da lista das maiores quedas proporcionais não é alimento: a gasolina caiu 0,43% no período, impulsionada pelos anúncios de cortes de preços da Petrobras. A gasolina teve peso de 0,02 ponto percentual no indicador.

PARA CIMA

Os principais itens que puxaram o indicador para cima estão nos grupos de transporte, despesas com saúde e cuidados pessoais e gastos com habitação.O etanol, por exemplo, cresceu 4,71% em novembro, frente a outubro. Foi o item que individualmente teve o maior impacto na composição do IPCA, de 0,04 ponto percentual dos 0,18% do mês.

O setor de álcool no país teve produção menor este ano e os estoques para o período de entressafra, iniciada a partir de outubro, estão mais baixos, o que pressionou para cima o preço do produto.

A alta do etanol foi um dos componentes que impediram que as reduções de preço da gasolina da Petrobras, realizadas em outubro e novembro, chegasse com mais força ao consumidor final. A gasolina vendida no país é misturada com uma parte de álcool nas bombas dos postos.

O segundo vilão da inflação de novembro foram os planos de saúde, que subiram 1,07% e responderam também por 0,04% do IPCA do período.

O mesmo impacto teve a alta de 0,87% do custo com empregados domésticos. Novembro é o mês de pagamento de 13º para aqueles que têm carteira assinada.Embora faça parte do segmento que mais ajudou a inflação no mês -alimentos e bebidas-, as frutas figuram no rol dos dez maiores vilões do IPCA, ocupando o quarto lugar. As frutas subiram 3% em novembro, respondendo por 0,03% do indicador.

O lanche fora -que é a refeição fora de casa que não é necessariamente almoço ou janta- completa a lista dos cinco produtos ou serviços que mais contribuíram para alta do indicador, tendo variado em 0,82%, com peso de 0,02 ponto percentual.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo