Brasil

02/06/2017 06:23

Economia cresce 1% no primeiro trimestre após dois anos de resultados negativos

O PIB (Produto Interno Bruto) do Brasil cresceu 1% no primeiro trimestre deste ano sobre os três meses anteriores, resultado em linha ao esperado e com forte expansão do setor agropecuário, mas os investimentos continuam em queda. Com isso, o país encerrou dois anos seguidos de recessão, a mais longa da história. Sobre o primeiro trimestre de 2016, no entanto, informou o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quinta-feira (1º), o PIB encolheu 0,4% nos três primeiros meses deste ano. Pesquisa da Reuters apontava que a economia cresceria 1% entre janeiro e março na comparação com o trimestre anterior, maior avanço desde o segundo trimestre de 2013 (+2,3 por cento), e mostraria queda de 0,5 por cento sobre o primeiro trimestre de 2016.

Segundo o IBGE, a agropecuária saltou 13,4% no trimestre passado, comparado com o período imediatamente anterior, por conta da supersafra, enquanto a indústria teve expansão de 0,9% e os serviços ficaram estagnados.

Temer diz que crescimento da economia é resultado de medidas do governo

Pela ótica da despesas, no entanto, o quadro foi mais negativo, com destaque para a FBCF (Formação Bruta de Capital Fixo), com queda de 1,6% no período, enquanto que o consumo das famílias e do governo recuaram 0,1 e 0,6%, respectivamente. As exportações de bens e serviços, por outro lado, subiram 4,8%.

O IBGE revisou ainda o resultado do PIB no quarto trimestre do ano passado, para queda de 0,5%, sobre redução de 0,9% antes. O instituto fez recentemente mudança de metodologia para mensurar os setores de serviços e varejo, cuja base de comparação passou a ser 2014, e não mais 2011.

Apesar da melhora no primeiro trimestre, especialistas acreditam que a economia pode voltar a perder força daqui para frente, ainda com o desemprego elevado e a crise política que atingiu o presidente Michel Temer.

Ele é investigado no STF (Supremo Tribunal Federal) por crimes, entre outros, de corrupção passiva após delações de executivos do grupo J&F. Com isso, já há pedidos de impeachment contra o presidente no Congresso Nacional, aumentando os temores de que as reformas, sobretudo a da Previdência, não saiam do papel.

E eram justamente elas apontadas por especialistas como fundamentais para garantir recuperação consistente da economia, junto com a queda de juros básicos. Mas esta também foi afetada pela crise política.

Na véspera, o Banco Central manteve o passo e reduziu a Selic em 1%, a 10,25%, apesar de o cenário de inflação dar suporte para movimentos mais ousados. E sinalizou que vai optar por reduções menores daqui para frente. 


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo