Cidade

04/02/2017 20:27

Mato Grosso garante 25% da balança do país

Dos US$ 47,68 bilhões registrados na balança comercial brasileira em 2016, US$ 11,40 bilhões vieram do superávit alcançado pelas exportações mato-grossenses. O Estado contribuiu, sozinho, com praticamente 25% do saldo comercial do país. Foi o segundo estado brasileiro que mais colaborou, atrás apenas de Minas Gerais. A pauta, por mais um ano, seguiu fortemente concentrada nas vendas de soja, milho, carnes e algodão, respondendo por 95,7% do total exportado, com liderança do complexo soja com 60,8% do total. 

Como chama a atenção o consultor e economista da PR Consultoria Carlos Vitor Timo Ribeiro, Mato Grosso faturou durante todo o ano passado US$ 12,58 bilhões. “O Estado sem manteve superavitário mesmo registrando queda anual de 3,7%. Em 2015 o faturamento havia sido de US$ 13,07 bilhões”. Ele frisa ainda que a pauta estadual vem mantendo a série de decréscimos anuais desde 2013. “Ou seja, são três anos consecutivos de queda sobre a receita proveniente dos embarques”. A balança comercial de um determinado país está favorável quando ele exporta (vende para outros países) mais do que importa (compra de outros países), como o Brasil e Mato Grosso mais exportaram do que importaram, ambos fecharam o ano com saldo positivo, ou seja, com superávit. 

Além da redução anual sobre o faturamento, Mato Grosso, que fechou o exercício 2016 na sexta posição entre os principais estados exportadores do Brasil, acumulou ao longo do ano passado, “perdas cambais” com a desvalorização do dólar em relação ao real, como aponta o economista. 

“Essa ‘perda cambial’ é de R$ 6,79 bilhões por conta da valorização do real frente ao dólar de 13,4% entre dezembro/2015 e dezembro/2016. Com o dólar médio de dezembro passado, no câmbio de 1 US$ = R$ 3,35 as exportações convertidas para a nossa moeda totalizaram R$ 41,92 bilhões, contra R$ 48,71 bilhões com o dólar de dezembro de 2015, na cotação de 1US$ = R$ 3,87, daí a diferença negativa de R$ 6,79 bilhões que consideramos como ‘perdas cambiais’. E mesmo assim, Mato Grosso participa com um quarto do superávit nacional e com 6,8% do montante total do país, ao ocupar a 6ª posição do ranking nacional”. 

Ainda como frisa, a pequena perda de 3,7% em dólar no valor total das vendas externas em 2016 transforma-se em uma queda bem maior de 17,1% em reais, ilustrando o efeito cambial que potencializa a “perda” em reais, “com reflexos bem negativos para a economia mato-grossense, que tem nas exportações uma contribuição expressiva na formação histórica do PIB estadual”. 

Os maiores exportadores do Brasil, pela ordem, são: São Paulo (US$ 46,20 bilhões), Minas Gerais (US$ 21,92 bilhões), Rio de Janeiro (US$ 17,18 bilhões), Rio Grande do Sul (US$ 16,57 bilhões) e o Paraná (US$ 15,17 bilhões). 

Fonte: Diario de Cuiaba


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo