Cidade

03/03/2018 05:35 Alecy Alves | PMMT

Bope começa curso que vai reforçar a >Tropa de Elite> da PM mato-grossense

O curso de Operações Especiais, que teve início nesta sexta-feira (02.03), deve formar quase 30 novos policiais para trabalhar no Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar mato-grossense e tropas similares de outros quatro estados.

Essa edição terá 33 alunos, sendo 28 policiais da PMMT(23 praças e 5 oficiais) e cinco dos estados do Pará, Tocantins, Paraíba e Goiás.

Pelos próximos quatro meses e meio esses policiais vão apreender a atuar vivenciado situações extremas. Eles terão aulas teóricas, porém são as instruções de campo que mais se destacarão, incluindo, por exemplo, sobrevivência em mata, travessia no Pantanal, mergulho, escalada de montanhas e paraquedismo.

Na manhã desta sexta-feira (02.03), durante a aula inaugural no auditório Cloves Vettorato, no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, o comandante do Bope, tenente-coronel Ronaldo Roque da Silva destacou a importância do curso para o sistema de Segurança Pública e a população de Mato Grosso.

Roque observou que a sociedade ganhará profissionais habilitados para atuar em operações especiais, em situações de riscos e violência extrema.

O comandante-geral da PMMT, coronel Marcos Vieira da Cunha, disse que sabe bem o quanto o Bope é importante. Quando atuava no interior do Estado (foi comandante do 14º CR, com sede em Nova Mutum), por muitas vezes acionou o Bope para missões difíceis, entre as quais a repressão ao “novo cangaço”, como são conhecidos os bandos que agem em assalto à bancos.

Sobre a presença de alunos militares de outros estados, Cunha considerou uma honra o Bope mato-grossense formar “caveiras” para outras regiões do país. “É uma honra sermos referência”, assinalou.

O oficial convidado como palestrante, capitão Vitor Bonfim Monteiro, do Bope de Santa Catarina, discorreu sobre operações especiais desde a 2ª guerra mundial até os dias atuais. Sobre o curso, disse que muitos que desconhecem as características das tropas especiais não entendem porque há determinadas instruções, de mergulho e paraquedismo, por exemplo. “Temos de nos manter prontos para cumprir missões que até então não foram consideradas necessárias”, pontuou.

Conhecendo

O termo “caveira” é uma denominação dada aos policiais formados em operações especiais dos batalhões do Bope no Brasil. O símbolo é uma caveira com uma faca encravada de cima para baixo e representa força, resistência e, principalmente, vitória sobre a morte. 

 


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados a Gund e Caldas LTDA ME - Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo