Destaques

16/09/2020 10:18 Jornal Mato Grosso do Norte

Alta Floresta: Água de córrego na avenida Mato Grosso desaparece

Pela primeira vez, o córrego do Severo, que corta a avenida Mato Grosso no local da ponte que dá acesso à região da grande Cidade Alta, está praticamente seco. Em anos anteriores, o nível da água baixou significantemente, mas a lâmina de água, mesmo que em volume reduzido, continuou escorrendo e passando embaixo da estrutura da ponte. 

No lado de cima da ponte ainda há água acumulada, mesmo que em quantidade baixa.

Mas no lado esquerdo, no sentido Cidade Alta Centro, o leito do córrego está completamente seco. Em 2020 o período de estiagem está prolongado, a temperatura mais quente e a umidade do ar está mais baixa do que em anos anteriores. 

Acrescido a estes fatores climáticos a obra da ponte foi construída sem o devido estudo ambiental, o que acabou causando um grande impacto e afetando o fluxo de água do córrego. 

As consequências desta falta de planejamento pode ser a escassez e racionamento do abastecimento de água para a população, em anos de clima atípico como está ocorrendo em 2020. 

As variações climáticas podem causar alterações importante ao Meio Ambiente, em decorrência, principalmente, das queimadas e do desmatamento.

As queimadas que estão ocorrendo, mesmo que sejam em outras regiões de Mato Grosso, como os focos de incêndios no Pantanal, impactam na bacia hidrográfica e interferem no volume de rios e córrego, mesmo que estejam a centenas de quilômetros de onde ocorrem os acidentes ambientais.   

2020 - Na Floresta Amazônica, 29.307 focos de queimadas foram registrados até agosto deste ano, destruindo uma área maior que a da Eslovênia. O número ficou pouco abaixo dos 30.900 registrados no mesmo período de 2019 que, de acordo com o Inpe, foi o pior mês de agosto para a Amazônia desde 2010. 

Outro dado interressante. Julho e agosto de 2020 foram os segundos mais quentes da história, segundo o novo estudo divulgado pela NOAA (Agência Nacional de Oceanos e Atmosfera dos EUA). Segundo o boletim mensal do instituto, o mês de julho teve temperatura 0,92° C mais alta do que a média do século 20, assim como agosto.

Foram os meses mais quente de todos os tempos, com temperaturas 1,18º C mais altas que a média do século passado. Os dados constatam que o aquecimento global e seus impactos seguem inabaláveis. 


Banner whats nativa news

Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site Go7
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo