Entretenimento

20/05/2017 06:18

SEC-MT lamenta morte de Agostinho Bizinoto

A cultura mato-grossense amanheceu saudosa. O mineiro de Araporã, Agostinho Bizinoto, morreu nesta quarta-feira (17), aos 64 anos, vítima do câncer. Será velado e sepultado em Uberlândia, ao lada da família. Agostinho, deixa quatro filhos e a esposa, Elisa Gomes, vereadora em Alta Floresta, onde morou até o ano passado, quando teve que seguir à cidade mineira para iniciar o tratamento tardio.

Em Alta Floresta chegou em 1987 e, desde então, promoveu animação cultural das mais notáveis que deixou legados inquestionáveis, como o Teatro Experimental de Alta Floresta, em atividade há 29 anos e a Praça do Avião, espaço que acolheu diversas manifestações culturais. “Era grande sua fé na cultura, não dá para pensar no Teaf, sem pensar em Agostinho”, emocionou-se o ator e diretor de teatro, Ronaldo Adriano.

O amor à arte era visceral a ponto de dedicar-se a várias linguagens e sobressair-se em todas elas. Atuou como produtor cultural, escritor e editor de livros, ator, diretor, dramaturgo, músico, roteirista e diretor de cinema. Além de estimular a criação de dezenas de grupos de teatro na cidade, também atuou incansavelmente, pela idealização de políticas culturais.

De acordo com o médico e um dos primeiros moradores da cidade, Mario Nishikawa, exerceu também o cargo de presidente da Federação Mato-grossense de Teatro. “Foi com muita honradez e orgulho para nossa comunidade”. 

Contribuiu para criar o Conselho Municipal de Cultura, implantar a gestão pública de cultura, provocar o engajamento de Alta Floresta com instituições e movimentos culturais estaduais e nacionais, bem como empenhar-se incansavelmente pela criação de legislação para o setor cultural (Lei Municipal de Apoio e Incentivo à Cultura, Lei Municipal do Patrimônio Histórico-Cultural de Bens Materiais e Imateriais). Criou ainda, entidades artístico-culturais das mais diversas linguagens, como música, dança, artes plásticas e artesanato, dentre outras iniciativas.

Na sede do Teaf esteve pela última vez, no lançamento do edital Circula MT, em junho de 2016, onde junto aos amigos recepcionou o secretário de Estado de Cultura, Leandro Carvalho. “Tive a honra de dividir este momento com Agostinho. Uma pessoa muito importante para a cultura que deixou um legado sem precedentes que orgulha a todos nós. Jamais será esquecido. Seu nome permanece vivo na história da cultura mato-grossense”.

Comportou-se como importante porta-voz, que possuía um conhecimento incalculável sobre a cultura de Alta Floresta. “Minha preferência, em toda a minha trajetória foi pelo teatro de grupos que trabalhassem com a linguagem popular, primando pela proximidade com as comunidades de bairros periféricos das cidades”, disse certa vez. 

Ao receber o diagnóstico, deu um depoimento emocionante em seu perfil no Facebook: “Sim, estou experimentando um momento em que a fragilidade humana nos provoca uma profunda reflexão sobre nossa existência... Os problemas de saúde que ora vivencio foram causados por minhas próprias negligências e falta de cuidados com as dádivas gratuitamente recebidas, ou seja, não seria honesto culpar os outros e muito menos alegar que Deus não foi complacente comigo por não me isentar de vícios e doenças que me afligiram no percurso de minha caminhada terrena até então. Com relação a isso, tenho que me ater humildemente no ‘mea maxima culpa’, pois, desta forma, a justiça terá uma dimensão de alento para minha própria consciência”.

A Secretaria de Estado de Cultura se solidariza com a família e amigos por esta inestimável perda.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo