Regional

26/04/2017 07:38

Exportação da soja tem recorde no primeiro trimestre do ano no Estado

Cerca de 63% da produção da soja da safra atual já foi comercializada pelos produtores de Mato Grosso. O número é 7,5% menor do que o registrado no período produtivo anterior. Apesar da baixa, a exportação da oleaginosa registrou um recorde no primeiro trimestre desse ano, segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea)  que foram publicados ontem (24). 

De acordo com o Imea, nos três primeiros meses do ano foram exportadas 4,9 milhões de toneladas de soja mato-grossense, o que representou 36,6% de toda a exportação nacional do produto agrícola no período. A quantidade vendida pelo Estado nesse período já representa 29% da expectativa que a entidade projeta para o escoamento da atual safra, que é de 16,8 milhões de toneladas. 

O escoamento dessa produção se deu, em sua maior parte, pelo Porto de Santos (2,3 milhões de toneladas), pelo Porto paraense de Barcarena (620,4 mil) e Manaus (529,7 mil).

No acumulado do ano, o insumo foi exportado em grande parte para a China (3,4 milhões de toneladas), outros países não listados (378 mil toneladas) e Espanha (359,3 mil toneladas). 

A previsão do Imea é que a colheita da soja, porém, terminasse ainda no início do abril, o que acabou não ocorrendo. A colheita em Mato Grosso atingiu 99,9% da área plantada na última semana e a única região que não concluiu os trabalhos é a Nordeste, que está com 99,7% da semeadura colhida. 

Milho

Até a semana passada, os agricultores do Estado já haviam comercializado 42,9% da produção, número 39,1 pontos percentual menor do que o registrado na safra 15/16. O plantio da leguminosa terminou no final do mês passado, no tempo previsto.

Já foram exportados 1,4 milhões da oleaginosa mato-grossense no acumulado do ano. Grande parte desse número foi vendido para o Irã (708 mil toneladas), Vietnã (264,8 mil) e Argélia (245 mil). O escoamento do insumo foi feito, em grande parte, pelo porto de Santos (859,6 mil toneladas), Manaus (246,4 mil) e Paranaguá (130,2 mil). 

O Imea aponta também que a questão do preço do milho ainda preocupa os produtores, mas que o anúncio feito pelo Governo Federal de liberar R$ 300 milhões para contratos de opção de venda devem aliviar o impacto do baixo valor. 

“A adoção dessas medidas, neste período, é de fundamental importância para escoar a produção e, principalmente apoiar o produtor mato-grossense a conseguir comercializar seu produto acima do preço mínimo”, aponta a entidade.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados a Gund e Caldas LTDA ME - Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo