Regional

15/10/2018 05:54 MidiaNews

“Tenho essa cara de caipirão, mas sou um estrategista político”

Eleito deputado federal por Mato Grosso com 126.249 votos, o produtor agropecuário Nelson Ned Previdente, o Nelson Barbudo (PSL), afirmou não ter ficado surpreso com a vitória nas eleições. Ele foi o mais votado ao cargo no Estado.

Em entrevista ao MidiaNews, ele declarou que apesar de ter “cara de caipirão” é um “estrategista em política”.

“Com toda modéstia, eu já sabia através de uma pesquisa interna que teria pelo menos 114 mil votos e conseguiria ganhar a eleição, mas a gente não comenta, não fala, porque a pesquisa não é registrada, então não dá para ficar falando 'abobrinha'. Eu aprendi que eleição você só fala quando abre as urnas. Mas eu não me espantei, não, eu sabia”, disse.

Natural de Poloni, cidade no interior de São Paulo, e pai de duas filhas, Nelson Barbudo mudou-se para Mato Grosso com a esposa, Vania Regina Previdente, em 1983.

Morador de Alto Taquari (a 509 km ao Sul de Cuiabá) onde foi vereador entre 2004 e 2008, ele ficou conhecido pelos vídeos polêmicos, ácidos e em defesa do amigo pessoal e candidato a presidente do País, Jair Bolsonaro (PSL). 

No Congresso Federal, Nelson Barbudo afirmou que irá defender pautas como o armamento para os cidadãos de bem, redução da maioridade penal e criminalização do aborto.

 

Confira a entrevista completa:

MidiaNews - Fale um pouco do senhor. Onde nasceu? Onde mora? Está desde quando em Mato Grosso? Qual a atividade?

 

Nelson Barbudo – Eu sou natural do Estado de São Paulo, nasci na cidade de Poloni e fiquei lá até os 25 anos.  Fiz curso de Direito, mas nunca exercia a profissional.  Sou casado com a mesma esposa há 35 anos e tenho duas filhas. Mudei para Mato Grosso há mais de 30 anos e moro atualmente em Alto Taquari, onde trabalho com o campo. Fui vereador da cidade de 2004 a 2008 e a minha esposa, Vania Regina Previdente de 2009 a 2013. Ela ainda presidiu a Câmara no biênio 2009/2010.  

MidiaNews - O que o levou a tentar uma vaga na Câmara Federal?

Nelson Barbudo – Foi a minha indignação com os "podres" da política. A minha esposa, quando vereadora, presidiu a Câmara e, no biênio dela, devolveu R$ 513 mil reais que não foram utilizados para os cofres públicos. Só para você entender, teve 17 presidentes de Câmara em Alto Taquari, a minha esposa foi a décima. Até o nono, nunca ninguém devolvia nada. A minha esposa, que é do lar, não tem curso superior, conseguiu devolver R$ 513 mil. Dos outros sete para frente, também não sobrou dinheiro. Eu acho que minha esposa é mais inteligente, é mágica. Nós temos o costume de ser honestos.

Além disso, entrei na política porque vi que o Jair Bolsonaro provou para o Brasil que, em sete mandatos, não está envolvido no "Petrolão", "Mensalão", não está envolvido em nenhum escândalo. Então, é possível um homem se manter na política sem se corromper e eu resolvi seguir a mesma linha. Por isso que eu fiz campanha durante um ano para o Jair Bolsonaro chegar em Brasília, defender o meu Estado, o meu país e provar que um homem pode entrar limpo na política e sair limpo.  

MidiaNews – O senhor ficou surpreso com a quantidade de votos que recebeu?

Nelson Barbudo – Não, eu não fiquei, porque apesar do pessoal me conhecer pouco, eu  tinha no Estado de São Paulo que teve 11 mandatos, então eu cresci numa família que tinha um político e eu aprendi com ele.

Quando eu me candidatei a vereador em Alto Taquari fui o mais votado da história do Município. Apoiei dois prefeitos como administrador das campanhas e eles ganharam. Apoiei a minha esposa e ela ganhou. Na última campanha, agora, apoiei outro vereador e ele foi o mais votado. Então eu tenho know-how em estratégia política, apesar dessa cara de tonto que eu tenho. Acontece que eu tenho descendência europeia, os meus avós vieram um da Itália e outro da Espanha. Portanto, eu tenho essa cara de caipirão assim, com todo respeito ao povo da roça, mas eu sou um estrategista em política.

Na sexta-feira antes da eleição, eu e minha filha fizemos uma pesquisa interna. Veja bem, nós, sem dinheiro, fizemos essa pesquisa por telefone e projetamos 114 mil votos. Erramos por 12 mil votos. Com toda modéstia, eu já sabia que com 114 mil votos eu conseguiria ganhar a eleição, mas a gente não comenta, não fala, porque a pesquisa não é registrada, então não dá para ficar falando "abobrinha". Eu aprendi que eleição você só fala quando abre as urnas, mas eu não me espantei, não. Eu sabia.

MidiaNews -  O senhor ficou famoso por divulgar vídeos no YouTube. Quando e por que começou a fazer esses vídeos?

Nelson Barbudo – Eu tenho quase 200 mil seguidores entre YouTube, Facebook e Instagram. Eu comecei com a indignação de ver políticos ladrões, como um dos primeiros vídeos que eu fiz, "dando um pau" no Antônio Palocci porque ele estava reclamando no Facebook das condições do cárcere. Eu pensei comigo: se ele pode fazer sucesso na internet, eu vou fazer uns vídeos aqui que eu devo fazer sucesso também, porque não é possível o Brasil assistir calado. Aí depois eu fiz um vídeo falando do Reinaldo Azevedo, que é um jornalista esquerdista que "deu um pau" no Bolsonaro, e tive milhões de visualizações. Percebi que existia um filão a ser explorado e comecei a explorar isso.

A partir daí, comecei a projetar a minha campanha eleitoral. Andei um ano na estrada em Mato Grosso e, assim, eu fiz essa rede de admiradores que eu sabia que ia se tornar em eleitores.

MidiaNews - Quem edita seus vídeos e quem os coloca no YouTube?

Nelson Barbudo – A minha filha. Toda essa mídia da campanha foi ela quem fez. Eu não contratei equipe de marketing, não tenho dinheiro.

MidiaNews – Quantos o senhor gastou na eleição?

Nelson Barbudo – Nós estamos fechando em torno de R$ 200 mil, tudo de doação declarada. Eu não tenho caixa para doar para mim mesmo como certas pessoas fizeram. As pessoas me procuravam e diziam o que fazer para me ajudar e assim foi aparecendo o dinheiro que gastei na minha campanha.

MidiaNews -  O que o senhor pensa do Estatuto do Armamento? Acha que todo cidadão de bem pode ter direito a uma arma?

Nelson Barbudo – Não só pode como deve. O Estado não dá a segurança que a Constituição determina e como o Estado não está presente dando a nossa segurança, o mínimo que um pai de família responsável - presta atenção, não é pegar um caminhão e sair distribuindo armas na rua não, tem que fazer cursos, o psicotécnico, psicológico, e ser ficha limpa - deve ter é uma arma para defender seu patrimônio e sua família.

MidiaNews - O Bolsonaro tem como proposta reduzir a maioridade penal. Como o senhor pretende votar nesse tema?

 

Nelson Barbudo – A favor. Se um adolescente de 16 anos tem direito de votar e ajudar a decidir o rumo de uma nação, ele pode ser responsabilizados por crimes. Veja bem, crimes hediondos. Não é assim, também, a pessoa pegar um jovem e condenar a 20, 30 anos. É um projeto estudado, não tem nada de radicalismo.

 

MidiaNews -  Como o senhor pretende votar em questões como aborto por exemplo?

 

Nelson Barbudo – Sou cristão e voto contra o aborto. Agora, claro que tem casos de estupros, que tem que ser analisados, mas sou contra o aborto.

 

MidiaNews - O que o senhor tem a dizer sobre o casamento gay? Não acha que os homossexuais têm o direito de constituir família?

 

Nelson Barbudo –  Acho sim, os adultos fazem o que quer, mas a liberdade deles vai até onde o direito do outro começa. Não tenho nada contra gays. Eu sou contra ideologia de gêneros nas escolas, cartilha gay. Agora, se o cidadão é maior e tem atração sexual pelo mesmo sexo, é problema dele, desde que respeite a família.

 

Gay é uma pessoa comum como qualquer outra, mas nós temos que ter a responsabilidade de não fazer o que a esquerda faz aí, colocar gay contra hétero, negro contra branco.

 

MidiaNews - O senhor acha que o pensamento socialista e progressista é uma ameaça à família brasileira?

 

Nelson Barbudo – Sempre foi. Eu sempre digo nos meus vídeos que se me provarem um país onde o socialismo e comunismo deu certo eu abandono a democracia. O comunismo foi implantado em praticamente 80 países no mundo e nenhum deu certo. Aliás, o Brasil só está nessa situação porque eles têm um projeto, desde que os militares entregaram o poder, e começou com o comunista maior do Brasil, que se chama Fernando Henrique Cardoso, em implantar o socialismo. Eu sou contra, eu sou capitalista liberal.

MidiaNews – Então o senhor acha que a esquerda é responsável pela crise nacional?

Nelson Barbudo – Eu não só acho como eu tenho certeza e esse foi um dos motivos que me levaram a entrar na política.

 

MidiaNews -  Acredita, então, que uma eventual vitória do PT seria um retrocesso para o Brasil?

 

Nelson Barbudo – Eu acredito que seria o fim do Brasil, eu acredito que seria a "venezualização" do Brasil, porque esse projeto criminoso de poder do PT está tentando acabar com classe média, transformando no proletariado esmolante do poder público. Quem estuda Olavo de Carvalho sabe como é.

 

Se o PT vencer vai continuar tirando dinheiro do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] para financiar ditadura da América Latina, esses "países banana" como eles fizeram, doando bilhões do BNDES. Como uma pessoa em sã consciência pode admitir que um país pobre como está o Brasil, que não tem água no Nordeste e uma presidente [Dilma Roussef] pegue o dinheiro público para investir bilhões e não dar o suporte que nossos irmãos nordestinos precisam. Se esse pessoal pegar o poder de novo é o fim do Brasil.

 

MidiaNews -  O senhor é a favor de reduzir as mordomias dos políticos? Pretende fazer algo para dar exemplo?

 

Nelson Barbudo – Está cheio de projeto lá em Brasília. Vamos analisar todos e ver o que é ou não de excesso. O que for, tem que ser cortado. Tudo que for para enxugar a máquina eu vou votar a favor.

 

MidiaNews - Como será sua relação com o governador Mauro Mendes? O senhor já conversou com ele depois da eleição?

 

Nelson Barbudo – Eu não conversei com ele ainda. Aliás, eu sou o patinho feio da política mato-grossense (risos). Eu estou entrando agora e com certeza vou procurá-lo ou ele vai me procurar. O que é de bom de Mato Grosso, pode contar com Nelson Barbudo. Eu não quero saber se o governador é do PSDB, PDT, não quero saber. Eu quero trabalhar junto com o governador, tentando fazer as mudanças necessárias que o Estado precisa. Vou ter uma relação institucional com Mauro Mendes e se o Jair Bolsonaro for eleito presidente, eu quero fazer a ponte entre eles.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

Todos os direitos reservados a Gund e Caldas LTDA ME - Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo