Regional

09/11/2018 16:10 MidiaNews

STF declara lei inconstitucional e varas podem ser extintas em MT

O Supremo Tribunal Federal (STF) julgou inconstitucional a Lei Complementar nº 313, aprovada pelo Assembleia Legislativa em 2008, que atribuiu competências a diversas varas cíveis e criminais de Mato Grosso. Com isso, as varas criadas com a lei, como a de Ação Civil Pública e Ação Popular, poderão ser extintas.

A informação consta em um ofício encaminhado pelo chefe do Judiciário em Mato Grosso, desembargador Rui Ramos, a todos os demais desembargadores do Tribunal de Justiça e aos juízes diretores das comarcas do Estado.

No ofício, Ramos cita documento enviado pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, com parte do teor da decisão.

A Ação Direta de Inconstitucionalidade foi julgada no dia 17 de outubro, com aprovação unânime. Apenas os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski não votaram porque estavam ausentes. 

A reportagem entrou em contato com a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, que ainda deve se posicionar sobre o assunto. 

Conforme a lei, aprovada em 2008 e sancionada pelo então governador Blairo Maggi, houve alteração em cinco varas cíveis e cinco criminais.

De acordo com a publicação, as varas cíveis 4ª, 8ª, 15ª e 16ª passaram a ser denominadas, respectivamente, 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Varas Especializadas em Direito Bancário.

Já a 17ª Vara Cível passou a se chamar Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular, “ficando com competência exclusiva para processar e julgar os feitos que tenham por objeto a proteção de direitos difusos, coletivos ou individuais homogêneos”.

Na época, a lei determinava que a 7ª Vara Criminal – que hoje é especializada contra o crime organizado - passaria a tratar apenas de processo referentes ao Direito Agrário.

A lei ainda alterou as competências da 10ª, 12ª e 15ª varas criminais. 

A 10ª, que na época tinha competência para processar e julgar os crimes apenados com detenção, não afetos aos juizados especiais criminais, passou a acumular competência para processar o cumprimento das cartas precatórias de natureza criminal, mediante distribuição alternada e equitativa com a 12ª Vara Criminal

Já a 12ª Vara Criminal passou a ter competência exclusiva para a instrução, o preparo e demais atos relativos aos processos envolvendo crimes dolosos contra a vida, a serem julgados perante o Tribunal do Júri. 

A 15ª Vara Criminal – atualmente extinta – passou a ser denominada Vara Especializada Contra o Crime Organizado, os Crimes Contra a Ordem Tributária e Econômica e os Crimes Contra a Administração Pública. 

Veja fac-símile do ofício assinado por Rui Ramos:


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo