Regional

04/12/2019 18:24 Fabiana Mendes - Olhar Direto

Rondonópolis: Adolescente de 17 anos denuncia padres por estupro e assédio

A Polícia Judiciária Civil investiga dois padres de Rondonópolis (a 216 quilômetros de Cuiabá) pelos crimes de estupro e assédio, após a denúncia de um adolescente de 17 anos. A Diocese, depois de tomar conhecimento dos fatos, afastou de forma preliminar os envolvidos, conforme posicionamento emitido na última segunda-feira (2).

A situação chegou ao conhecimento da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher (DEDM) depois que a tia do adolescente teve uma conversa com um padre para pedir conselhos. Na ocasião, ele perguntou sobre seu sobrinho, pois a mesma cuidava dele.


Desconfiada, ela foi conversar com o sobrinho, que contou sobre os abusos. O jovem afirmou que em setembro de 2015 teve um relacionamento com um amigo da escola da mesma idade. Se sentindo culpado, confessou o ocorrido ao padre T., que então começou a se aproximar dele.


Este mesmo padre teria começado a pedir fotos do garoto sem roupa, que atendeu o pedido. Ainda conforme a vítima, o padre o levava para o shopping, onde lhe daria dinheiro e comprava lanches.


O padre então teria levado o garoto para casa de um parente, onde teria ocorrido o estupro. Na época, o garoto tinha 13 anos. Os abusos teriam acontecido diversas vezes, por quatro anos, até que no dia 29 de julho deste ano, o adolescente colocou um fim na situação.


Diante do 'término', o padre teria estuprado o garoto e depois lhe dado a quantia de R$ 50. Para tentar supostamente fazer ciúmes, o padre teria enviado uma foto dele com uma jovem, em que ambos tomavam sorvete. Conforme a denúncia, este mesmo padre também teria dito relações sexuais com o adolescente e um outro coroinha.


Conforme boletim de ocorrência, o padre teria sido transferido para Alto Garças, mas estaria cometendo os estupros com outros coroinhas. Inclusive, um deles teria ameaçado denunciá-lo, mas T. teria dado um aparelho celular para o mesmo, como forma de obter seu silêncio.


Ainda conforme o adolescente, quando ele tinha 15 anos, o padre T. teria mandado seu número de telefone para um padre identificado como J., que se encontrou com o garoto no Salão Paroquial São José Operário. Ambos tiveram uma conversa, entretanto, o documento não deixa claro o teor.


A Polícia Judiciária Civil  disse que o caso está sob a coordenação da delegada Lígia Silveira. De acordo com a delegada, as investigações são sigilosas e por enquanto não há informações que possam ser passadas à imprensa.


A Diocese de Rondonópolis-Guiratinga informou, por meio de nota, que após tomar ciência de possíveis afrontas às Leis da Disciplina Sagrada, tomou medidas a fim de resguardar os direitos de todas as partes envolvidas e afastou, de forma preliminar, os presbíteros. Conforme a nota, também foi dado início ao procedimento canônico investigatório para apurar se a denúncia ofertada tem fundamento.


Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
nativanews@hotmail.com

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo