Saúde

28/06/2021 14:01 Alecy Alves

Pacientes com sequelas pulmonares pós-Covid superlotam consultórios e clínicas

Especialista diz quem teve grandes áreas dos pulmões afetadas têm sequelas mais graves

Além da devastação causada em milhares de famílias que perderam entes queridos, a Covid-19 está deixando rastros de destruição em órgãos vitais, especialmente nos pulmões.

Pacientes do pós-Covid estão superlotando consultórios e clínicas especializadas em pneumologia. Eles buscam a recuperação ou amenização dos danos respiratórios causados pela doença.

O médico Clóvis Botelho, presidente da Sociedade de Pneumologia em Mato Grosso, diz que na clínica dele as sequelas deixadas pela Covid já representam 80% dos pacientes atendidos.

Professor aposentado do curso de Medicina da UFMT e tutor da mesma graduação na Univag, Botelho explica que a infecção provocada pelo vírus leva à formação de fibroses.

"Quando a infecção cicatriza faz-se a fibrose. Ocorrendo isso, nas áreas atingidas os pulmões deixam de funcionar", assinala o especialista.

Por sorte, diz, na grande maioria dos pacientes que tiveram áreas menores atingidas, principalmente os mais jovens, os pulmões se recuperam e voltam a funcionar normalmente.

Segundo ele, o próprio organismo resolve entre 50 a 60% dos casos. Pode ocorrer a regeneração da área afetada ou o próprio órgão desenvolver no seu entorno na área afetada maior capacidade de funcionamento.

Nos idosos com doenças pré-existentes ou perda da capacidade pulmonar pela própria idade, as sequelas podem ser mais graves e permanentes.

Clóvis Botelho destaca que, no setor da saúde, o ciclo pós-Covid está praticamente no começo quando se fala da avaliação das consequências.

Se dizendo impressionado com o que tem visto em sua própria clínica nos últimos quatro meses, Botelho reforça a importância da prevenção da doença.

Clóvis Botelho

Clóvis Botelho

Para ele, não se pode medir a doença pelo número de curados. "Quando analisamos a pandemia pelo número de curados estamos nos referindo aos que se deixaram contaminar pelo vírus", observa.

A prevenção, analisa, continua sendo fundamental na prevenção de mortes e sequelas como as que estamos lidando

Ele acrescenta que tão importante quanto prevenir é estruturar o sistema de saúde para atendimento adequado aos pacientes.

Não dispor de vagas de UTI e ter pacientes graves na fila de espera por vaga, diz, é o mesmo que deixá-los morrer.

DADOS

Em Mato Grosso, todos os 142 municípios registraram casos da Covid-19. O estado já contabiliza quase 12 mil óbitos e mais de 440 mil com diagnóstico positivo da doença.

Somente em Cuiabá, morreram mais de 3 mil pessoas. A capital ultrapassa 93 mil com diagnóstico positivo. Mais de 87 mil se recuperaram da doença, porém centenas continuam em tratamento por causas de sequelas respiratórias, cardíacas, entre outras.


Queimada   crime nativa newsBanner whats nativa news

Nativa News

Jose Lucio Junqueira Caldas
Alta Floresta - MT
Fone (66) 9.8412-9214
[email protected]

Redes Sociais

248x90

Todos os direitos reservados ao Site Nativa News
Qualquer material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Crie seu novo site Go7
vers�o Normal Vers�o Normal Painel Administrativo Painel Administrativo